REINALDO RIBEIRO, DO VALE DE SANTARÉM, APRESENTA “ALAMEDAS DE PEDRA”

“Um dia, no Inverno de 1950, correu no povoado a notícia de que o gado viria do mouchão porque o Tejo tinha voltado a inundar os campos. Nada tinha de diferente em relação a outras ocasiões, a não ser que, segundo se disse, daquela vez o gado não iria para o local habitual mas para um pinhal junto a umas hortas arrendadas pelos moradores da terra. Foi esta simples circunstância que alarmou as gentes da aldeia. Aquelas centenas de animais ali guardados iriam destruir tudo o que lá haviam plantado… o meu pai dirigiu-se à taberna. Os homens que lá encontrou também nada sabiam de concreto mas estavam igualmente preocupados. Após alguma discussão decidiram criar um grupo para esclarecer a situação com o governador civil, tendo sido o meu pai designado porta-voz. Depois do governador ter desmentido haver qualquer intenção de levar o gado para o pinhal, a polícia deteve-o nessa noite e, desde então, jamais tivemos notícias dele.”

É com este “acontecimento” que o autor começa a contar o que se terá passado com Rafael, seu pai, nesta obra que é de ficção e onde, portanto, o que se dá a ler poderia ter acontecido. Reinaldo Ribeiro constrói um interessante encadeado de situações possíveis, a partir desse facto que, em verdade, não ocorreu no Vale de Santarém, mas poderia ter ocorrido, ali ou em qualquer outra parte de Portugal naqueles tempos. O resultado é uma obra que, centrada na sua terra natal, leva o leitor a vários lugares, essencialmente da Europa, onde Rafael viveu momentos únicos, de grande dramatismo, marcados pela fuga, por guerras, por muitos acasos, pela luta pela liberdade. Enquanto a acção se desenrola, Rafael vai dando a conhecer as suas convicções sociais e políticas, a sua determinaçao pela liberdade e dignidade das pessoas e também os seus medos, as suas angústias, os seus desencantos.

Recorrendo a Platão, o autor lembra que o artista é um criador de aparências, acrescentando “um fingidor que faz imitações da realidade, quer seja no teatro, na pintura, na poesia, na música, na literatura ou na escultura”.

A ficção ALAMEDAS DE PEDRA aí está. Vai ser apresentada no próximo dia 13 de Abril. Aqui se reproduz o Convite.

Convite

Autor: 60emais

Português.

Um pensamento em “REINALDO RIBEIRO, DO VALE DE SANTARÉM, APRESENTA “ALAMEDAS DE PEDRA””

  1. bravo et muitos parabens !! esperando ler essa obra do nosso conterraneo , reinaldo , cumprimentos …. americo marques

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.