CRÓNICAS SOBRE OS VELHOS PARA OS NÃO-VELHOS AINDA – CRÓNICA 4

Realmente, os velhos estão cada vez mais importantes e na ordem do dia. Até já constituem um grupo-alvo para os negócios financeiros (olha que espertos!…) para as super-residências medicalizadas, para o consumo em geral e específico, e até entram em spots publicitários: ele é o creme anti-rugas, o leite milagroso, a fralda que não deixa passar nada, o fortificante para toda a espécie de impotência, o produto financeiro que…

E os velhos também entram nos autocarros que são dos presidentes das autarquias – isso pensam eles, os velhos. E fartam-se de andar no país, para cima e para baixo, para o litoral e para o interior. E até vão a Espanha. E é uma chatice, com tanto velho por todos os lados, dizem os ainda não-velhos, “até já eu me sinto velha também”, diz-me uma amiga, uma qualquer-dia-velha. Mas por este andar ela já está mas é rabugenta, antes de estar velha…

Até no Inatel os velhos esgotam a lotação, com aquela coisa do turismo sénior, do termalismo sénior e de não sei quantas coisas sénior. Um não-velho, ou uma família de não-velhos, querem umas vagazinhas no Inatel e ‘nicles’. Só depois da época da invasão dos séniores, que é assim que são chamados os associados do Inatel com mais de 65 anos – é assim que vem nos papéis, nos regulamentos, nos panfletos…

Portanto, só depois dessa grande invasão é possível uma reservazinha para a família no Inatel. Talvez, ou ‘naturalmente’, como diria a minha mãe, que também já é velha, mas ainda só velha… e que não gozou ainda dessa campanha do Inatel. Está na hora mãe, de te levarmos à campanha sénior. Pois, pois… até já estamos muito atrasados, tens razão…

Aliás, os velhos são tantos que estão a caminho de ser, se é que não são já, o maior grupo populacional. E mais. Além de o serem, ainda por cima usufruem de um vasto leque de designações.

Por exemplo, enquanto as crianças são genericamente chamadas de crianças, somente, e os jovens são jovens (criaram até aquela ideia de que os jovens estão entre os 18 e os 35 anos e, não esquecer, aqui há muito poucos anos, aos 45 já eram convidados para a reforma… o que eles inventam?!…) e os adultos são adultos, já os velhos, entre nós, para alguns são “velhos”, para outros “seniores”, para outros “gerontes”, para outros ainda “terceira idade” e também “idade maior” assim como “idosos” ou até “os mais idosos”. Ninguém se entende? Pois… os velhos dão muita volta à cabeça ao resto do pessoal. Isso é que é…

Não ficamos entretanto por aqui. Há ainda quem diga “os nossos avós”. E há, é claro, os que lhes chamam “velhotes” (…este fim-de-semana fui ver os meus velhotes…”) assim como “jarretas”, “empecilhos”, os que “andam cá a mais”, “múmias”, “esqueletos”, “hoquistas” (porque muitos andam de canadianas ou de bengala) e mais algumas designações que a minha memória, de quase-velho, me não traz, por enquanto…

Continua

Manuel João Sá

Autor: 60emais

Português.

7 opiniões sobre “CRÓNICAS SOBRE OS VELHOS PARA OS NÃO-VELHOS AINDA – CRÓNICA 4”

      1. “OS “IDOSOS” NÃO SÃO “OS VELHOS” NEM “OS COTAS”…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.